03 dezembro 2005

“And I am not frightened of dying. Any time will do; I don't mind. Why should I be frightened of dying? There's no reason for it—you've gotta go sometime.”

Vivo tempos em que The Great Gig in the Sky é a única obra que me faz realmente algum sentido. Gritos, desespero, imagens de sofrimento, uma sensação de ser o que não se quer ser - ou de não conseguir ser quem se gostaria de ser.

Triste com decisões tomadas. Decepcionado por planos que não deram certo. Infeliz com a impossibilidade de fazer o tempo voltar, de recuperar o tempo perdido. Pretty much sad with everything around my life...

Solidão
Angústia
Medo


Felicidade? Quando? ["nunca" é a resposta mais próxima da realidade]

“I never said I was frightened of dying.”

2 comentários:

Odivan disse...

Contrariedades. Sempre fodem com a cabeça do cidadão de bem.
Meus sinceros agradecimentos.

candice disse...

sorry to say:-join the club!
[beijos pra tu, germano querido!]