14 janeiro 2006

I may be dreaming but I feel awake...

"Love is passion, obsession, someone you can't live without. If you don't start with that, what are you going to end up with? Fall head over heels. I say find someone you can love like crazy and who'll love you the same way back. And how do you find him? Forget your head and listen to your heart. I'm not hearing any heart. Run the risk, if you get hurt, you'll come back. Because, the truth is there is no sense living your life without this. To make the journey and not fall deeply in love - well, you haven't lived a life at all. You have to try. Because if you haven't tried, you haven't lived."

Em portugês, o título do filme é "Encontro Marcado". No começo achei que me identificaria com o filme porque Brad Pitt era um jovem advogado que confessou que abandonaria tudo o que tivesse na vida pela mulher que amasse. Mas depois percebi que me identifiquei com o filme porque se tratava de um grande amor impossível de ser vivido. E quando o filme termina, eis que os créditos sobem ao som de "Somewhere Over the Rainbow/What a Wonderful World". A mesma versão que com ela tanto me emocionei em outro filme, "Como se Fosse a Primeira Vez".

É tempo de ser introspectivo e de viver um pouquinho no passado, porque é tempo de refletir e - se não chorar - concluir sobre a impossibilidade de se viver o amor da vida inteira. Para todo o sempre.

Eu sou a própria morte.

PS: Deus escreve mesmo certo, por linhas tortas. Ainda bem que hoje assisto a filmes sozinho. A vergonha das lágrimas [necessárias] desesperadamente escorrendo pelo rosto é muito menor...

8 comentários:

van disse...

Eu não acredito em amores impossíveis, para mim, aí não há amor, pelo menos não do jeito que a gente queria, Gê. O amor da vida inteira da gente pode estar em várias pessoas diferentes, em uma só, em uma única noite, em um só minuto. Depende do que você quer receber e não só dar. Amor é abrangente demais pra se sentir sozinho. É mais e tu vai descobrir. Um abraço bem demorado em tu.

Beatriz disse...

Meet Joe Black.

Tô olhando pra ele na estante e lendo o que você fala dele... deu vontade de ver novamente!

beijo e fique bem.

=)

Cele disse...

Juro que n sei nem o que dizer! O filme é mesmo dez! Mas eu ainda prefiro acreditar que há a possibilidade de vivermos intensamente o grande amor das nossas vidas! Eu creio, sim!

Claudia Robinson disse...

Chorar e rir..Coisas naturais e necessarias na vida de cada um.

Cele disse...

Vai atualiza mais essa biroska, não??

manu disse...

Vergonha d chorar? é o mesmo q dizer q tem vergonha do seu coração... Devemos ter vergonha d muita coisa q vivemos ou fazemos em nossa vida, mas d demonstrar nossos sentimentos... nunca mesmo! Se o mundo fosse mais humano certamente não estaria do jeito q está hj em dia.

Frequentador disse...

Eh o seguinte. Voce eh ateu. Eu era. Deixe Deus cuidar de sua vida. Nao falo isso de palhacada. Eh o camihno mais certo. Deus perdoa tudo... se voce se arrepende. Nao existe desespero com Deus. Meu fardo eh leve, e meu jugo eh suave, disse Jesus. Eh verdade. Mas isso eh algo que VOCE tem que ver. Espero sinceramente que veja.
Que Deus o abencoe.

haxelok disse...

caralho.
que foda a sua tatuagem. to pra fazer uma tbm.. apesar da religiao dos meus pais (judaismo) ser contra.
parabens, vc é foda só por gostar de jamiroquai.