28 março 2006

Tonight I think I'll walk alone, I'll find my soul as I go home...

Tenho plena convicção de que desejo e quero tudo aquilo que não é certo. No entanto, sei bem entender tal conceito, pois nem sempre que não é certo não precisa ser necessariamente algo "errado". Amar uma mulher que não te ama não é errado - é apenas imprudente.

Dessa forma, passa-se a viver com menos culpa e com menos angústia quando se compreende com maior clarevidência que aquilo que tanto perseguimos ao longo de toda a nossa existência não são coisas erradas. Estamos apenas praticando atos imprudentes.

De toda forma, é preciso assumir uma culpa, diversa daquela primeira. O difícil não é conviver com a certeza de desejar coisas supostamente "erradas", mas sim assumir a culpa pela imprudência de nossos atos, de desejar o que não é certo. A diferença é sutil, e o limite entre ambas as situações é extremamente tênue.

É por isso que se diz que errar uma vez é bom - é educativo e didático; na verdade penso que é a melhor forma de aprender - mas que errar duas vezes é burrice. Nem sempre aquilo que nos decepciona e nos faz quebrar a cara, após relevante relfexão, é algo errado - é apenas algo que não é certo. Existem contrários, e existem contraditórios.

Recomendação de leitura: Dialética para Principiantes, de Carlos Cirne-Lima, da Editora UFRGS. Aliás, se essa obra for encontrada, por favor me avise, pois a minha edição foi emprestada em meados de 1997 e nunca foi retornada pela bondosa alma que até hoje a possui...

5 comentários:

Manga Rosa Cearense disse...

Tantos livros meus já foram embora assim... Amigos pedem emprestado e nunca devolvem... Não sou de cobrar, mas não resisti em dar uma alfinetada em uma amiga que está com um livro meu desde 1995... E em outra que pegou 3 livros de uma coleção para estudar para o mestrado em educação e até hoje nada... Eu pelo menos quando peço algo emprestado tem data já pra devolver, não sei pq nem todos podem ter esse bom hábito.

Luluzinha disse...

Olá! Primeira vez por aqui através dos acasos inexplicáveis que nos fazem entrar em determinado blog e nos identificar com as palavras do autor...
Quem nunca cometeu essa "imprudência" que atire a primeira pedra...
E eu concordo que errar uma vez é permitido, mas permanecer no erro é burrice, além de, infelizmente, perda de tempo e de vida... E ainda há tanta coisa pra viver!
Bjos! E parabéns pelo blog!

Bia Fiuza disse...

Errando ou não, o importante é amar. Eu quebro a cara toda semana... so what? Escolho viver!

Lu disse...

Ei, é só pra dizer que eu gosto quiçó de tu.
Saudades.
=*

Erika disse...

Só pra dizer que visitei esse blog, em outro endereço, acho, há alguns séculos.
Parabéns pelo nó na cabeça alêa depois desse post, doutor!