07 setembro 2008

Everyone can see the loneliness inside of me...

A ignorância é a grande dádiva da humanidade.

É ela quem permite a felicidade de viver um vida inútil e sem sentido, tendo prazeres cada vez maiores com isso. De se satisfazer com mesquinharias, exaltando-as. Até mesmo o preconceito, o ódio e a ganância - as forças motrizes das piores guerras já realizadas.

A ignorância é quem permite a vida em sociedade, ocultando o fato de que, ao mesmo tempo, a repulsa em níveis inconcebíveis.

Por outro lado, quanto mais se busca o conhecimento, mais se isola e se afasta da maior parte das pessoas. A genialidade (ou a curiosidade extrema) é a chave para a solidão. Quanto mais se mergulha nisso, mais se experimenta o conceito de "ad aeternum". E os piores gênios são aqueles que fomentam a ignorância das massas em benefício próprio. "Pão e circo" é uma expressão tão antiga quanto os grandes impérios da História conhecida.

A sede de conhecimento em mim sempre foi maior do que qualquer outro desejo supérfluo. Passei por quatro faculdades e engrandeci a minha visão sobre o mundo por aspectos completamente diferentes. Seja nas Humanidades, nas Ciências ou na Tecnologia. Nenhum tempo foi perdido na mesma proporção em que desperdicei mais do que poderia. Sempre busquei viver a minha vida, e não aquela que os outros queriam para mim...

Eu sou o gênio na busca incessante pela ignorância.
Eu sou o ateu que louva Deus todos os dias.
Eu sou a cura não revelada par a doença chamada viver,
o trecho único da viagem para onde nunca se quer ir.

Um comentário:

C.L. disse...

às vezes eu queria viver na ignorância. mas só ás vezes...e por pouco tempo!