05 novembro 2006

Loneliness can be ignored and time has shown me how...

Outubro já foi um mês mais difícil de lidar. Ano passado, principalmente. Bem mais do que nos outros dois anos anteriores, certamente. Mas agora outubro passa e o peso não fica. Isso tem seu lado bom. O ruim é que outubro significa muito mais do que uma linda música do a-ha ou um álbum do U2...

* * * * *

Ah, essas sinfonias maravilhosasa que a vida involuntariamente nos traz... Falando em música, uma manhã dessas estava ouvindo Tangocrisis, do Tanghetto, e eis que, em perfeita simetria, dispara o alarme do meu relógio. Sim, aqueles dois bips seqüenciais que já são mais do que característicos em relógios digitais. E o encaixe entre a canção e os bips era perfeito! Foi apenas curioso, mas eu adorei!

* * * * *

Dia desses revi dois filmes definitivamente muito bons: Clube da Luta e Matador em Conflito. Gosto mais de fazer referências a este último por seu título original: Grosse Pointe Blank.

De toda forma, isso tudo me fez refletir que, definitivamente, não quero em minha vida uma pessoa que eleja a temática esquizofrênica como seu modo de vida, que esteja cagando para o que acontece no mundo e apenas se preocupa - e olhe lá! - em respirar e viver um dia atrás do outro com uma noite no meio. Quero eu mesmo transformar a minha vida a partir da estabilidade que não me leva a nada a algo que conduza à felicidade, e não simplesmente viver por viver. Prefiro esperar a redescoberta de uma Debi Newberry do que novas experiências com uma Marla Singer inconseqüente.

Até lá, vou levando a minha vida em meio a programas de casal absolutamente solitários. Um dia isso muda... Se pra melhor ou pra pior, não sei. No entanto, hoje em dia mudar já é um bom começo.

* * * * *

Feliz aniversário, Manu! Não só pelo aniversário, mas o orgulho de tê-la como colega apaixonada pelos mesmos estudos faz crescer em mim o desejo por todo o sucesso que tu mereces! Parabéns!

Um comentário:

miss. singer. disse...

engraçado só ter lido isso agora.
se você realmente pensa assim, porque diz que tem saudade?